Blog

07/10/2021 publicado por: Comunicação

M. Dias Branco é a maior indústria de alimentos do Nordeste de acordo com o Prêmio Valor 1000

Líder em massas e biscoitos se destaca no segmento de alimentos e bebidas com receita líquida de R$7,25 bilhões em 2020

 

O Prêmio Valor 1000 reconhece a M. Dias Branco como a maior empresa do setor de alimentos e bebidas da região Nordeste, a partir da sua performance financeira em 2020. Com receita líquida de R$7,25 bilhões em um ano desafiador, a líder nacional em massas e biscoitos utilizou sua experiência adquirida em quase 70 anos de história para traçar estratégias sólidas, fortalecendo o caixa e reforçando-o a partir de uma política comercial pautada também na ampliação das exportações.

Na 21ª edição, o Anuário Valor 1000 faz análises detalhadas sobre as maiores empresas do País, com rankings comparativos, demonstrações financeiras consolidadas e critérios de medida contábil do desempenho, como geração de valor, medida pela margem EBITDA e a gestão do endividamento. Os critérios empregados pelo Valor 1000 são homologados pela Serasa Experian e pelo Centro de Estudos em Finanças da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (Cef-EAESP/FGV-SP).

Desde o início da pandemia, a M. Dias Branco mobilizou-se, formando cinco comitês, para garantir a segurança dos colaboradores e o abastecimento de alimentos para a população brasileira. “Nenhuma das nossas unidades parou, do Sul ao Nordeste, e chegamos a contratar 500 pessoas para reforçar a produção”, ressalta Gustavo Theodozio, vice-presidente de Controladoria, Investimentos e Relações com Investidores da M. Dias Branco.

No mercado externo, as vendas também cresceram. A Companhia, que já exportava para 40 países, passou a atender também a América Central. Como resultado, a M. Dias Branco incrementou em 278,2% a receita bruta em exportações, que atingiu R$ 235,2 milhões em 2020.

O resultado expressivo é consequência do planejamento estratégico criado pela Companhia em dezembro de 2019. A intenção foi capturar grandes oportunidades no lado do custo, a partir da revisão dos processos, gerando produtividade. “Quando a iniciativa é aliada às melhorias previstas na estratégia comercial com um mix mais qualificado para as vendas, o resultado é o crescimento da lucratividade”, complementa Theodozio.

No ano passado, a M. Dias Branco reforçou o caixa e foi ao mercado para ampliar o capital de giro. A primeira emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) da Companhia captou R$811,64 milhões. Os recursos foram destinados a compras de matérias-primas, sobretudo trigo e açúcar. Os investimentos da M. Dias Branco totalizaram R$ 221,8 milhões, distribuídos entre expansão e manutenção, além da implantação e fortalecimento da presença de suas marcas nas plataformas de e-commerce.

Em 2021, os investimentos permanecem entre R$200 milhões e R$250 milhões, assim como a expectativa de boa performance financeira. “Será difícil repetir o mesmo volume de 2020, mas os números tendem a ser positivos”, afirma Theodozio.

Além da performance financeira e liquidez, a M. Dias Branco tem se destacado em outros indicadores que integram as práticas EGS, como transparência, boas práticas sociais, ambientais e de governança. Por isso, em janeiro deste ano, a Companhia foi listada na 16ª carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) B3, que valerá até 30 de dezembro de 2021.

Tags: